Escolha Perdoar


Perdoar não é uma atitude fácil. Ela envolve diversas questões que mexerão profundamente nas emoções daquele que decide fazê-lo. Aliás, perdoar não é uma questão de sentimento, mas de atitude.
Esse é o principal motivo de muitas pessoas permanecerem presas, com seu coração cheio amargura e ira. 
Segundo elas, estão esperando sentir algo para depois perdoar. Porém, ouso dizer, o perdão está mais ligado a uma decisão, do que propriamente a um desejo da alma.
Ninguém nunca perdoará enquanto ficar esperando o seu coração aceitar a humilhação causada pelo outro, na tentativa de entender os motivos das atitudes alheias. Perdoar é uma decisão que gera sacrifício.
Perdoa-se uma pessoa pela nobreza de tal atitude, não pelo mérito do transgressor. A pessoa ferida nunca encontrará motivos emocionais para perdoar, pois a mágoa a impede de tomar esse tipo de atitude.
Perdoar é um gesto incomum para o coração orgulhoso do homem. Só age dessa forma quem decide abrir mão dos seus direitos.
 Quando uma pessoa libera perdão sobre a outra, está fazendo mais bem para ela do que para o ofensor. Nesse momento, está destruindo as cadeias de amargura que governavam o seu coração.
O perdão é uma decisão individual, capaz de produzir cura e libertação. Não é um sentimento, mas uma escolha. Porém, quando se decide tomar essa atitude, a paz passa a governar o coração.
Por maior que seja a ofensa, o individuo sempre terá a escolha de perdoar, ou não, ao seu ofensor. Pois, o perdão não é baseado no tamanho da agressão, mas no valor que se dá ao outro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação