Vende-se O Amigo


Era véspera de feriado nacional, quando ele saiu do local do jantar onde acabara de fazer a última refeição com seu amigo. Naquele momento sua respiração estava ofegante, seu olhar desconfiado e no seu rosto a incerteza do que aconteceria nos momentos seguintes.
De longe o homem avista seu destino e acelera um poucos os passos, olha a todo o momento para os lados para saber se não tem ninguém conhecido no local. Ao chegar perto da porta respira fundo, como quem toma coragem, bate e é logo atendido por um senhor de idade que o convida a entrar.
Nesse momento um silêncio assustador toma conta do lugar, todas as atenções se voltam para ele, os presentes param todos os seus afazeres para observá-lo. Estão todos surpresos com sua presença, ninguém o imaginaria ali naquele momento.
- Quero lhes propor um acordo. Vendo para vocês meu mestre e amigo por trinta moedas de prata. Por esse preço o entrego ainda hoje.
Aquele momento foi extremamente espantoso, mesmo para aquele grupo de homens que buscavam a todo o momento uma oportunidade de prender Jesus. Isso porque, ninguém esperava que tal oportunidade partisse da iniciativa de um dos homens que fazia parte do restrito ciclo de amigos do Messias.
Você já imaginou, um amigo sendo negociado em uma sala como se fosse uma mercadoria de balcão que pode ser encontrada em qualquer lugar?
É difícil entender a atitude de Judas naquele momento, tal assunto já gerou várias especulações, mas o real motivo que o levou a fazer aquilo ninguém nunca saberá.
Para que possamos entender melhor o assunto utilizaremos o termo trair, como é usado nas escrituras. Sendo assim, Judas traiu Jesus por trinta moedas de prata. Se partirmos desse pressuposto veremos que muitos também tem incorrido no mesmo erro traindo o Mestre .
Alguns traem Yeshua por um emprego mixuruca que ainda paga mal, outros por uma noite de prazer, tem aqueles que o fazem por uma bebida, um trago, uma mentira, uma piada, etc. Talvez a moeda utilizada seja outra, mas o preço é sempre o mesmo, a traição.
O grande problema da traição não é apenas o insignificante preço pago, mas as consequências para o traidor e para o traído. Logo após trair Jesus um grande remorso tomou conta de Judas e o levou ao suicídio.
Veja que existe uma grande diferença entre remorso e arrependimento. O primeiro anestesia a dor da culpa, mas não gera cura, já o segundo, embora mais difícil, traz cura e conserto. Muitas pessoas cometem o mesmo erro de Judas, mas preferem correr para corda do suicídio espiritual voltando para o mundo porque não tiveram a coragem de trilhar o caminho do arrependimento.
Fugir não resolve o problema, não apaga a culpa, não tira a dor e nem traz a presença de Deus de volta. A única coisa capaz de curar o coração e alma de um traidor é o arrependimento genuíno, é reconhecer a culpa e voltar atrás. Com certeza o Eterno é um Deus de justiça, mas também é misericordioso e não rejeita a oração de um coração contrito. 

Comentários

  1. Olhando por essa otica vemos o quanto as vezes somos judas, me vi em varias situações sitadas nesse texto, mas quero muito mudar esse perfil , não sou adultero, nem bebo, nem me drogo, mas a parte do emprego, mde faz voltar a alguns meses a tras, e vejo o quanto me prejudiquei me afastando de Jesus

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação