A Mentira é um Atestado de Paternidade


Hoje existe uma maneira muito simples de se provar a paternidade de uma pessoa, os chamados exames de DNA. Basta um fio de cabelo, um pedaço de tecido do corpo ou uma pequena amostra de sangue dos supostos pai e filho que logo se chega à conclusão se a paternidade é verídica ou não.

Com poucas chances de erro o exame analisa a estrutura do DNA de ambas as partes buscando certa igualdade em sua formação, caso ela ocorra à paternidade é certa. Em síntese, o exame prova a paternidade através da semelhança do DNA.
O interessante é que no mundo espiritual acontece da mesma maneira, sendo que a amostra de DNA que utilizamos é o modo de vida. A Bíblia diz que o diabo é o pai da mentira, ele é o mentor e idealizador de todos os atos mentirosos cometidos por uma pessoa na sua vida. Em contra partida, a mesma palavra declara que Jesus é a verdade, e que desceu do céu para restaurar a aliança do homem com Pai.
Para que possamos encontrar a paternidade de uma pessoa no mundo espiritual precisamos analisar suas atitudes e palavras a fim de podermos compreender de quem são filhos.
Muitas pessoas pensam que a mentira é somente o fruto dos lábios, aquela historinha que se conta para tentar tirar vantagem de determinada situação. Mas, se analisarmos bem veremos que ela procede do coração e que já está enraizada na estrutura de quem a pratica.
Se as atitudes de uma pessoa não condizem com aquilo que ela diz significa que está mentindo. Dizer que serve ao Eterno e praticar aquilo que é contrário a sua vontade significa viver baseado em uma mentira.
Quando confrontamos as atitudes e palavras de uma pessoa podemos atestar sua paternidade. Isso significa que o DNA espiritual do mentiroso será semelhante ao DNA do pai da mentira. Em contra partida o DNA de alguém que pratica e vive na verdade será semelhante ao do Pai da verdade.
Não estamos falando aqui de um escorregão, um deslize que acontece por uma distração no decorrer da caminhada, mas sim do viver diário de uma pessoa.
Diante desses fatos, podemos encontrar aqueles que tratam bem a família na presença da comunidade, mas que dentro de casa são agressivos, maldosos e incontroláveis. Esse tipo de pessoa vive na mentira, vive uma duplicidade de caráter que atesta apenas a paternidade do pai da mentira em sua vida.
Quando Jesus estava reunido com seus discípulos Ele disse que no grande dia, quando Ele voltar para buscar a sua igreja separará dois grupos. Se Analisarmos as entrelinhas da passagem veremos que de um lado estão os mentirosos, que passaram seus dias engando os outros e a si mesmos, e do outro lado todos aqueles que decidiram viver a verdade.
As palavras de Yeshua para o primeiro grupo são pesadas, “apartai-vos de mim, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.” (Mateus 25: 41). Isso porque o Pai conhece seus filhos e da a eles a recompensa que tem preparado.
Precisamos tomar cuidado com a maneira como vivemos, porque viver na mentira ou viver na verdade atesta nossa paternidade no mundo espiritual e define nossa eternidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação