Uma Geração Marcada Pela Frieza Espiritual


Houve um tempo em que os cristãos tinham prazer em estar na igreja adorando ao Senhor junto com seus irmãos. Era uma alegria quando alguém passava em sua casa e lhe chamava para cultuar ao Eterno.
Mas com o tempo as coisas foram mudando, o amor foi esfriando, e aquilo que era um prazer acabou se tornando um enfado na vida de muitas pessoas. A maioria dos irmãos começou a deixar que outras coisas tomassem o lugar do Grande Eu Sou em suas vidas.
Esse êxodo das fileiras da adoração verdadeira, do primeiro amor, é a marca dessa nova geração. Para eles, não é mais importante juntar os irmãos em plena comunhão e adoração, não há mais alegria em buscar ao Senhor.
É claro que isso não é generalizado, ainda existem aqueles que a chama continua ardendo em seus corações, e, por mais que os dias passem, fazem de tudo para que ela venha aumentar, pois sua verdadeira paixão está em buscar, incessantemente, ao Eterno.
Aqueles que deixaram o amor esfriar fazem parte de um grupo que está mais preocupado com os prazeres dessa vida. Eles querem satisfazer os desejos de sua alma, e ficam satisfeitos em serem apenas meros visitantes, espectadores, nas igrejas.
Esse tipo de pessoa está lá, mas seu coração não. Sua preocupação maior é apenas mostrar para os outros que tem alguma religião, para rever os amigos e alguns dos familiares. Eles fazem parte da geração marcada pela frieza espiritual.
Mesmo diante de tanta frieza espiritual ainda temos a certeza de que o Senhor está à porta, todos os dias, batendo, disposto a entrar e restaurar a aliança que um dia fora quebrada. Ele, mais do que ninguém, deseja ver seus filhos dentro de sua casa.
Estar diante de Deus, ou se afastar, gradativamente, até chegar ao ponto de não ter mais prazer de estar com o Altíssimo, é uma questão de atitude, de escolha. É uma decisão que cada indivíduo deve tomar, mas sabendo que ela tem um preço a ser pago.
Podemos deixar que a frieza entre e tome conta de nosso coração, ou podemos nos entregar completamente ao Senhor, buscando diariamente estar em sua casa desfrutando das bênçãos eternas preparadas para todos aqueles que decidiram viver diariamente em seu altar.

Comentários

  1. muito legal tb tenho um texto hoje que fala em comunhao da uma olhada la Juanito
    http://valoresesonhos.blogspot.com/2011/11/viver-em-comunhao-mais-que-uma-opcao.html

    ResponderExcluir
  2. Boa reflexão. Geralmente se atribui a frieza ao espaço, ao tempo, às formas e costumes, mas, na verdade, o calor espiritual, o desejo por estar mais perto de Deus não vem de estímulos externos, não dependemos do que vem de fora, mas do que está dentro de nós. www.boazrios.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação