A VIOLÊNCIA URBANA

Ficamos estarrecidos esses últimos dias com crimes banais que vêm ocorrendo em nosso País, em todas as regiões. É como se um espírito de violência estivesse pairando e trazendo destruição, assassinato, estupros, dentre outros tipos de violência, que só de pensar já causa repulsa e indignação em qualquer pessoa.
Parece que a vida perdeu o valor; que as pessoas não têm mais importância, tudo que importa, para essa geração, é o vil metal. Vemos isso cada vez que abrimos o jornal para ler; todas as vezes que ligamos o noticiário.
Há alguns dias atrás os jornais noticiaram uma onda de violência, seguida por arrastões e assaltos no Rio de Janeiro. Os bandidos passaram roubando carros, bolsas, relógios, dentre outros objetos ameaçando e agredindo aqueles a quem abordavam. Nem mesmo uma criança de três meses foi absolvida pelos marginais que atuam como se fossem juízes.
Em outra notícia um jovem mata outro em uma briga por causa de dois Reais. Uma senhora foi brutalmente assassinada pelo neto enlouquecido, que queria dinheiro para comprar drogas. O filho mata os pais para ficar com dinheiro da herança. Essas e outras notícias são constantes em nossos noticiários diariamente.
Diante de tanta violência, a sociedade tem vivido cativa dentro de suas próprias casas, com medo e sem poder confiar nem mesmo nas pessoas da própria família. Que mundo é esse? Onde iremos parar? Parece-nos que a vida perdeu o valor.
Por incrível que pareça, até mesmo nos lugares onde encontraríamos segurança, já não podemos mais confiar. Algumas pessoas têm manchado o seu sacerdócio, vendido o seu ministério, por algumas moedas de prata transformando o sagrado em banal, incorrendo no mesmo erro de Judas.
O Senhor Jesus, antes de ser crucificado, já havia alertado a seus discípulos sobre as ondas de violência que ocorreriam nos últimos dias.  Se analisarmos o texto sem preconceitos, olhando nas entrelinhas, perceberemos que Jesus estava dizendo que nesse tempo o nível de violência e a falta de valor humano seriam tão grandes que alcançariam até mesmo o bem mais precioso do homem, o seio familiar.
A desvalorização da vida, a quebra de valores humanos, o apego exacerbado ao dinheiro, etc. tem sido a marca dessa geração, o que nos leva a pensar sobre o valor que temos dado a nossos semelhantes.
A Bíblia nos ensina que Deus amou o mundo de uma maneira tão extraordinária que entregou o bem mais precioso que Ele tinha, o seu único filho, para pagar o preço pela nossa redenção. Mais do que ninguém, o Criador valorizou a vida humana como nenhuma outra pessoa já foi capaz de fazer.
Portanto, embora prefigurada por Jesus, essa onda de violência e desvalorização da vida são propostas contrárias as ensinadas pelo Mestre, sendo um estratagema do príncipe deste século, para destruir a obra e os valores mais importantes pela qual o Messias morreu.
A vida cristã custou o sacrifício de Jesus na cruz do calvário para que nós possamos alcançar a salvação e vivermos em paz.

Comentários

  1. A violência é incontestável e lamentável. Acredito, porém, que devo agir de maneira diferente do mundo, ou seja, devo tratar as pessoas não como coisas, mas escuta-las, entende-las, e ama-las verdadeiramente. Desta forma somente o mundo verá Cristo em nós.

    ResponderExcluir
  2. E,a tendência é piorar...
    Cumprimento da Palavra de Deus.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação