Até que a Morte os Separe?

Todos conhecem a celebre frase, imortalizada em casamentos por sacerdotes de várias religiões, que diz: “Até que a morte os separe”. Muitos casais sonharam em um dia poder compartilha-lha com a pessoa amada. Mais do que isso, desejaram vê-la cumprida em sua vida.
Mas, o que temos visto ultimamente é um número enorme de casamentos sendo destruídos por brigas conjugais em tribunais, além vários outros problemas relacionados à vida a dois. Isso sem contar as inúmeras ofensas, ditas de ambos os lados, tomando lugar do desejo de ser feliz eternamente com a pessoa amada.
O problema é tão grande, que boa parte dos casais que sobem ao altar ultimamente, já o fazem com a expectativa de que o relacionamento não dará certo. Como prêmio de consolação passaram a utilizar a frase: “se não der certo separa e arruma outro.”
O mais triste nisso tudo, é que a igreja de Jesus tem se conformado com essa tendência mundana, que nada tem haver com as práticas divinas elaboradas para o casamento, e tende apenas a piorar o problema.
Alguns, mais liberais, atenuam a questão, utilizando como desculpa a modernidade e a maneira como o homem passou a administrar os relacionamentos. Dessa forma, acabam prejudicando aqueles que chegam para pedir algum tipo de ajuda.
A verdade é que a igreja tem como obrigação despontar como modelo para uma geração corrompida e desestruturada. Portanto, cabe a ela a incumbência de levar a palavra de Deus de forma pura, mostrando o que é certo ou errado, dentro dos padrões divinos.
É claro que não estamos dizendo que se deve desprezar as pessoas divorciadas que chegam até nós, pelo contrário, devemos ajudá-las,trabalhar para que as feridas causadas no rompimento precoce do relacionamento sejam saradas.
Mas, também não podemos ficar estáticos. É preciso ensinar as pessoas que compõe nossas igrejas sobre a importância do casamento e como agir dentro dele. É preciso ensinar a valorizar, novamente, o matrimônio, visto que muitas pessoas chegam completamente contaminadas pelo modo de agir e pensar do mundo.
O casamento é a mais bela expressão de um relacionamento. Não podemos deixar que desavenças, brigas discórdias, incompatibilidade de genes, e outras coisas acabem com ele.
O mundo não precisa de novas técnicas mirabolantes para manter o casal cada vez mais perto. Ele precisa de pessoas que se levantem com coragem de assumir o matrimônio sem observar os padrões degradantes que corrompem nossa sociedade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação