NÃO CONFUNDA LIBERDADE COM LIBERTINAGEM


Parece que estemas vivendo uma revolução no meio evangélico nesses últimos dias. Jornais, revistas, empresas de pesquisa e muitos outros setores vêm apontando o crescente número de evangélicos no Brasil.
Por um lado, esse fenômeno é maravilhoso, pois demonstra o interesse e responsabilidade dos discípulos em evangelizar. Porém, em contra partida, também expõe sérios problemas que precisam ser solucionados rapidamente.
Um deles está ligado à confusão feita pela maioria dos novos convertidos entre liberdade e libertinagem. Ser livre em Jesus aponta para a sua obra libertadora do pecado, além da liberdade de poder entrar na presença do Pai. Já o termo libertinagem indica um modo desregrado de viver, são pessoas que vivem rejeitando os preceitos e práticas religiosas, utilizando a desculpa da liberdade.
É possível encontrar essa preocupação em várias partes da Bíblia, um dos autores, preocupado com tais atitudes, é Judas. Ele escreve dizendo o seguinte: “Pois certos homens, cuja condenação já estava sentenciada há muito tempo, infiltraram-se dissimuladamente no meio de vocês. Estes são ímpios, e transformam a graça de nosso Deus em libertinagem e negam Jesus Cristo, nosso único Soberano e Senhor.” (Judas 1:4).
Essa tem sido a atitude de inúmeras pessoas no meio evangélico hoje, escondendo-se atrás da desculpa da Graça de Deus, cometem diversas barbaridades, e utilizam o perdão do Pai como justificativa para seus atos libertinos.
A maioria esquece que o mesmo Deus do perdão, também é o Deus da justiça. Em sua Palavra Ele diz não se deixar escarnecer, além de não tomar o pecador como inocente. Todos aqueles que vivem cometendo atos pecaminosos estão longe da presença do Senhor, passíveis da mesma condenação que qualquer outro ímpio.
A libertinagem é uma cadeia, manifesta através dos desejos maus da vontade humana, capaz de iludir o indivíduo, fazendo-o acreditar estar livre para fazer suas próprias escolhas, porém, prendendo-o nas correntes do pecado.
A princípio, as escolhas parecem ser as melhores possíveis, pois trazem a sensação de felicidade e satisfação para alma, como se a pessoa estivesse certa, mas no fim geram frustração, vergonha e incerteza.
Para viver plenamente a vontade de Deus, desfrutando dos benefícios de sua graça, é precisa estar completamente arrependido, isso significa deixar de lado todas as práticas do pecado e viver em busca da santidade, ensinada na palavra de Deus.
Não confunda a liberdade de Deus com a libertinagem, nem a sua graça com a conivência. Andar na presença do Pai significa abrir mão dos seus próprios desejos e viver em conformidade com sua vontade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação