A MOTIVAÇÃO CIRCUNSTANCIAL X A MOTIVAÇÃO PLENA

Através de seu exemplo de vida Jesus nos ensina a caminhar motivados por um propósito principal. Ele nos mostra a importância de perseguir um projeto, e não uma posição, ou um status. Aqueles que buscam apenas a posição estão motivados pelo desejo ilusório da fama. Porém, quando ela chega - se chegar - perdem-se, pois nunca tiveram um alvo definido.
Caminhar debaixo de um objetivo significa ter a consciência de que o seu motivador não é algo passageiro, efêmero, mas que transcende a compreensão humana. Enquanto os fariseus buscavam reconhecimento humano – status e fama – Jesus trabalhava por algo superior, pois tinha em mente o projeto de cumprir a vontade do Pai.
Trabalhar por um propósito é não perder o foco da missão. Aliás, o que a maioria não entende é que o cumprimento da missão é maior do que qualquer glória humana. O propósito não deixa a pessoa sair da rota, pois é algo concreto. Mas, quando se busca as coisas passageiras do mundo, tudo parece ter mais valor do que a meta.
Por isso muitas pessoas vivem desorientadas, levadas de um lado para o outro por inúmeras doutrinas, pois cada coisa nova é mais atrativa do que a anterior.
Essa era a intenção de Paulo quando disse para Timóteo não se deixar levar pelas histórias de velhas caducas. O Apóstolo queria ensinar-lhe que o desejo de completar a missão precisa ser mais importante do que as influências externas.
Essa é a diferença entre uma motivação circunstancial, para uma motivação plena. A primeira busca satisfazer os prazeres efêmeros da vida. Enquanto a segunda está fundamentada em um propósito superior.

A visão do projeto é o maior objetivo daqueles que querem superar-se. Uma mente focada não permite que algo a tire da rota. Nenhum atalho tem valor para aqueles que vivem movidos por algo que transcenda a sua vontade. Pessoas focadas estão preocupadas com a realização dos seus objetivos. Nada a desvia do seu foco.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação