VENCENDO AS TENTAÇÕES

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca." (Mateus 26:41).

A maior arma do crente contra a tentação é a vigilância, seguida de uma vida de entrega através da oração. Infelizmente, a maioria se esquece desse conselho simples de Jesus e acaba invertendo a ordem, deixando de vigiar e permitindo que sua mente seja inundada de sementes do inferno que possuem um único objetivo: levá-los a queda.

Precisamos aprender a vigiar mais, passar mais tempo enchendo o nosso pensamento das coisas que são do alto. Somente dessa forma estaremos habilitados a viver a plenitude da vontade de Deus.

Se prestarmos a atenção, o conselho de Jesus não é para deixar de orar, mas para que haja um equilíbrio entre as duas atitudes e o indivíduo não esquece que para vencer o pecado não é necessário um milagre, mas uma escolha pessoal e intransferível de cada um.

Como diz o apóstolo Paulo: "Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar." (1 Coríntios 10:13). A tentação não é algo sobrenatural, mas natural. Ela está no nível dos desejos humanos, e precisa ser vencida nesse mesmo nível.

O problema está na permissão (falta de vigilância). Afinal, normalmente, a pessoa é tentada naquilo que lhe atraí. Contudo, é através da falta de vigilância que a tentação evolui, produzindo desejos cada vez maiores e tomando proporções grandiosas, a ponto do indivíduo pensar ser impossível vencê-la.

"Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte." (Tiago 1:14,15).

Para vencermos a tentação é necessário uma vida de constante vigilância, seguida de profundos momentos de oração.

Pense sobre isto!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação