A GRAÇA MOTIVADORA

O que motiva alguém a permanecer na igreja não é o seu ministério, não são suas habilidades, nem os seus dons. O grande motivador é a graça.
Aqueles que perdem a graça, consequentemente, também perdem a alegria em estar na casa de Deus, de trabalhar na sua obra e de comungar com os irmãos.
Quando se perde a graça, não há mais o desejo pelas coisas do Reino. A mentalidade passa a ser a de alguém guiado pelos desejos naturais. Sem ela, perde-se o prazer do sagrado. A oração, a leitura da Palavra, o jejum e a busca tornan-se desprazerosos, perdem o sentido.
Por isso, quando uma pessoa já perdeu a graça, passa a procurar satisfazer as necessidades da alma, voltando a procurar realização nos prazeres do mundo. Como não existe mais o desejo pelas coisas do Reino, a prioridade é transferida para as vontades da carne.
Em seguida, as coisas se tornam tão normais, que já não há mais o constrangimento com o pecado, bem como a necessidade de buscar as coisas de Deus.
É nesse momento que as antigas práticas do evangelho passam a não ter mais sentido algum na vida da pessoa. Aliás, nesse instante a pessoa começa a viver uma alienação completa.

Para não chegar a esse estágio é indispensável uma vida de arrependimento, abandono das obras da carne e uma completa rendição a vontade de Deus. É preciso ouvir a voz constrangedora do Espírito chamando de volta a inocência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação