ADORAÇÃO SIMPLES E PURA

É interessante como a alegria da adoração está sempre de mãos dadas à dissimulação daqueles que querem apenas aparecer. Por mais estranho que parece, em um mesmo lugar é possível distinguir pessoas com honestidade de propósito das desonestas em seu propósito.
Vide o nascimento de Jesus, um momento singular em toda história, mas com duas reações completamente diferentes. A primeira dos famosos reis magos, homens íntegros, poderosos e com um coração puro, desejoso de adorar ao Rei. A segunda reação a do rei Herodes, um governante ganancioso, orgulhoso e cruel.
Os primeiros entregaram o seu melhor, nunca quiseram ser descobertos, nem seus nomes são revelados nas escrituras. A intenção maior dos seus corações era adorar ao Rei. Para eles o Senhor era a pessoa mais importante naquele momento.
Quanto a Herodes, a história conta por si mesma, um homem cruel e orgulhoso que queria tudo girando em torno de si mesmo. Todas as suas atitudes transpareciam a ganância e mentira que governavam seu coração.
Não é diferente nos dias de hoje, muitas pessoas estão adorando ao Senhor sinceramente, sem o desejo de aparecer ou ser reconhecido pelos homens por causa disso. Em contra partida, muitos querem a glória que não lhes pertence e o louvor a qual não possuem qualquer direito.
É fácil reconhecer esses dois tipos de pessoas. Os verdadeiros adoradores estão sempre sumindo, não estão preocupados em ser reconhecidos ou ter seus nomes colocados em um outdoor. O desejo intenso e quase louco do seu coração é revelar o Senhor e compartilham do mesmo sentimento de João Batista: “É necessário que ele cresça e que eu diminua.” (João 3: 30).
Do outro lado da equação estão os falsos adoradores, pessoas orgulhosas, com um desejo louco de serem reconhecidas, sempre com uma opinião contrária formada sopre todo. Esse tipo de gente está sempre entrando em conflito com os demais na tentativa de provar que estão certos, tudo que fazem é melhor ou mais salutar do que os demais.
Elas sempre chamam a atenção para si, querem (consciente ou inconscientemente) a glória que não lhes cabe. Se isso não acontecer atacam a todos os que estão a sua volta, assim como Herodes: “Então Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito, e mandou matar todos os meninos que havia em Belém, e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos.” (Mateus 2: 16).
Os verdadeiros adoradores estão preocupados em propagar o Reino de Deus, os falsos querem divulgar o seu próprio reino. Os verdadeiros adoradores falam das coisas grandiosas que Deus fez, os falsos só falam dos seus “grandiosos feitos”.
Como disse o apóstolo Paulo: “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” (Romanos 11.36). A adoração é simples, pura e isenta de qualquer tipo de glória, satisfação ou benefícios pessoais.

De qual lado estamos?

Comentários

  1. Grande verdade, hj adoradores se colocando no centro, comerciantes da palavra. Que possamos viver o verdadeiro evangelho de Cristo como centro da nossa adoração, da nossa pregação das nossas vidas. É triste oq vem acontecido.Parabens pelo post!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

APONTAR O DEDO É FÁCIL, DIFÍCIL É ESTENDER A MÃO

Troca de Valores

A Quebra de Princípios Gera Condenação